Login ou Esqueceu a sua senha?
E-mail:
senha

Estudo Dirigido - GRANDES ORAÇÕES DA BÍBLIA


 

Estudo III - ORAÇÃO DE SÚPLICA: Moisés



"Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade." Êxodo 34:6


AS BOAS IDÉIAS ÀS VEZES CHEGAM TARDE! Recapitular o passado pode ser desencorajador, como na história de um casal de missionários que lamentava terem seus anos de serviço sido tão infrutíferos. Os edifícios que construíram foram mais tarde destruídos. Como eles desejariam ter investido mais energia em edificar as pessoas. "Se tão-somente tivéssemos sido mais amorosos e tivéssemos feito mais amigos!", eles pensavam.


Criar filhos também pode ser um desafio. Não seria maravilhoso se os filhos viessem com um "manual de instruções"? "Se tão-somente os erros na educação do primeiro filho não fossem considerados!" comentou um pai.


"Se tão-somente" é um lamento comum. "Se tão-somente eu conhecesse o caráter dele antes de me casar!" "Se tão-somente eu lhe tivesse dito que a amava!" "Se tão-somente eu não tivesse entrado em dívida!" "Se tão-somente não tivesse colocado minha vida nesta confusão!"


Moisés, a quem geralmente é atribuída a autoria deste salmo, parece estar brincando o jogo "se tão-somente" no Salmo 90, onde ele escreve: "Os dias da nossa vida sobem a setenta anos ou, em havendo vigor, a oitenta; neste caso, o melhor deles é canseira e enfado, porque tudo passa rapidamente, e nós voamos" (v. 10).


Uma Vista Geral do Salmo 90 - Sal. 90:1, 7-10, 12-17


A maioria dos estudiosos da Bíblia acredita que Moisés escreveu o Salmo 90, e muitas traduções incluem no cabeçalho a frase: "Oração de Moisés, o homem de Deus" (compare Deut. 34:10). Este fato tornaria o Salmo 90 o mais antigo de todos.


"O Salmo 90... reflete os pensamentos [de Moisés], talvez perto do final de sua curta estada em Midiã [Êxo. 2:113:3]. Neste caso, a seguinte interpretação parece apropriada: Os versos de abertura deste salmo parecem refletir a solidão das montanhas do Sinai e a majestade de Deus, em contraste com a fragilidade humana em geral e os grandes enganos de sua própria vida (vs. 7 e 8). Conhecendo o papel que a Providência traçou para ele (Atos 7:25), Moisés sem dúvida refletiu que seu ato impetuoso de matar o egípcio frustrou o propósito de Deus e contrariou o plano divino para sua vida. Ele já havia ultrapassado a marca dos setenta anos e estava se aproximando dos oitenta (Sal. 90:9 e 10), mas, com sua grande decepção em mente, ele orou que Deus o ensinasse a "contar" seus dias de modo que pudesse aplicar o coração à sabedoria (v. 12). Ele ainda tinha fé nas promessas de Deus aos pais e esperava seu cumprimento. Os pensamentos então se voltaram para seus irmãos de sofrimento na terra do Egito (vs. 13 e 14) e orou por sua libertação (vs. 15 e 16). Finalmente, ele rogou a Deus que o trabalho de suas próprias mãos fosse confirmado, que sua vida não tivesse sido completamente em vão (v. 17)".


Considerando o tom desta oração, tome algum tempo para examinar suas prioridades (veja o v. 12). Você tem gasto suas energias em coisas que realmente não importam? O que você está fazendo agora e que, dentro de poucos anos, olhando para trás, você pode lamentar? O que você pode dizer a alguém que, olhando pesarosamente para o passado, precise de encorajamento?


Indo Para Casa - Sal. 90:1-9


Em sua oração, Moisés diz que o Senhor tinha sido seu refúgio eterno (v. 1).


Como autor do livro de Gênesis, Moisés havia refletido muito nas "gerações" de patriarcas desde o tempo da Criação (Gên. 5; 10; etc.); ele viu que seu lugar de habitação estava em Deus. Como uma mansão em que nasceram, viveram, e morreram gerações de uma mesma família, Deus é um lar para Seu povo (Sal. 91:1). No Salmo 90, Moisés volta seus pés para casa. Não existe qualquer outro lugar para ir.


A parábola do pai amoroso ilustra generosamente as boas-vindas que receberemos (Lucas 15:11-20). "Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou" (v. 20).


3. Como Moisés contrasta a eternidade de Deus com a brevidade da vida humana no Salmo 90?


Plano da vida de Deus (vs. 2 e 4)


Plano da vida humana (vs. 3 e 10)


Ao contemplar Moisés as "colinas eternas" que o cercavam em Midiã, ele deve ter sido tocado ao perceber que Deus é mais antigo ainda – da eternidade no passado à eternidade no futuro. Seu assombro com a imensidão da existência de Deus contrastava igualmente com sua impressão sobre a vida humana. Deus, para quem o tempo não significa nada, ordena severamente que os seres humanos voltem ao pó (vs. 3 e 4) em cumprimento da terrível sentença sobre Adão: "Porque tu és pó e ao pó tornarás" (Gên. 3:19).


Vivendo Sob a Ira de Deus - Sal. 90:7-14


Moisés passou por mudanças drásticas em sua vida. Herdeiro do trono do Egito, ele de repente se encontrou como um pastor errante no deserto. Sua brilhante educação nas ciências e nas artes militares parecia perdida. Sua missão da vida tinha sido destruída. Moisés podia pensar apenas em uma explicação. Deus estava zangado com ele (vs. 7, 9 e 11). Ano após ano se passou sem qualquer mudança em sua condição ou na situação de Israel. A provação prolongada tem efeitos profundos no crente. Algumas vezes, pensamos que Deus não Se importa conosco. Felizmente, esta conclusão é incorreta. Deus Se importa, sim! Onde Moisés pensava que Deus pusera seus pecados? Que pecado secreto oprimia sua consciência? Sal. 90:8; Êxo. 2:12.


A memória deste pecado muito provavelmente assombrava seu solitário exílio em Midiã. Aquele erro de julgamento, quando pensou que deveria libertar Israel com suas próprias forças, "aparentemente" abortara toda a sua carreira e o lançara em obscuridade.


Em seguida, Moisés suplica a Deus várias coisas excepcionais. Leia Sal. 90:13, 14


Por que é tão notável que Moisés tenha pedido a Deus essas bênçãos?


Moisés "ora para que, depois de uma noite de tristeza e sofrimento, Deus lhe dê uma manhã de alegria e paz (veja Sal. 143:8)". "Faze-me ouvir, pela manhã, da Tua graça, pois em Ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a Ti elevo a minha alma" (Sal. 143:8).


Lembrando de Midiã - Sal. 90:16


A vida de Moisés foi um fracasso? Os 40 anos em Midiã foram um desperdício? Ele estava vivendo sob a ira de Deus?


Os longos anos de exílio foram, de fato, capítulo importante na vida de Moisés. "Encerrado nas fortificações das montanhas, Moisés estava a sós com Deus. ... Na grandiosidade solene das colinas eternas via ele a majestade do Altíssimo, e em contraste compreendia quão impotentes e insignificantes eram os deuses do Egito...


"Enquanto os anos se passavam, e vagueava ele com seus rebanhos nos lugares solitários, ponderando na situação opressa de seu povo, reconsiderava o trato de Deus para com seus pais e as promessas que eram a herança da nação escolhida, e suas orações por Israel ascendiam de dia e de noite. Anjos celestiais derramavam sua luz em redor dele. Ali, sob a inspiração do Espírito Santo, escreveu o livro do Gênesis. Os longos anos passados nas solidões do deserto foram ricos de bênçãos, não somente para Moisés e seu povo, mas para o mundo em todos os séculos subseqüentes".


Os muitos anos que Moisés passou no deserto deram-lhe tempo para escrever. Seus escritos – os livros de Gênesis a Deuteronômio – estão entre as maiores obras-primas da literatura. É possível que Moisés tenha escrito também o livro de Jó durante sua permanência em Midiã. Lá, ele se familiarizou com os adoradores de Deus nos ramos Edomita e Midianita da família de Abraão, aos quais Jó e seus amigos pertenciam. O Salmo 90 tem fortes laços com os livros de Gênesis e Jó. Os três contêm descrições da ira de Deus e súplicas pelas Suas misericórdias, além de reflexos dos temas da Criação e da Queda.


Outro benefício dos anos que Moisés gastou em Midiã foi a experiência de ser pastor. Os hábitos de exercer o cuidado, do esquecimento de si mesmo, e de terna solicitude pelo seu rebanho, ... prepará-lo-iam a tornar-se o compassivo e longânimo pastor de Israel.


Que outro pedido Moisés fez a Deus? Sal. 90:16


Moisés pensava que estava na hora de Deus agir em favor de Seu povo, mas ele mal percebia o que Deus tinha em mente. Ele sabia pouco sobre o papel que ele próprio desempenharia no plano de Deus!


A Resposta de Deus à Súplica de Moisés - Sal. 90:15 e 17; Êxo. 3:1-10; 33:1234:7 Que pedidos finais Moisés fez a Deus? Sal. 90:15, 17


Moisés estava, na realidade, dizendo: "Dá-me quarenta anos de alegria por estes quarenta anos de aflição no deserto." Certamente Deus podia resgatar para ele os anos de exílio e servidão, assim como fez para Jacó e para José. Deus não poderia coroar suas aflições com alegria?


"Finalmente, ele roga a Deus que o trabalho de suas próprias mãos seja confirmado, que sua vida não tenha sido completamente em vão (v. 17). Provavelmente, foi no tempo dessas reflexões que Deus encontrou Moisés na sarça ardente e lhe ordenou que voltasse ao Egito para libertar os hebreus (Êxo. 3:1-10)." Leia a resposta de Deus a Moisés em Êxodo 3:9-12.


A cortina estava se abrindo no ato seguinte da vida de Moisés. Deus estava entrando em ação, e Moisés era o ator principal do drama. A princípio, Moisés estava desprevenido para seu novo papel. Seus longos anos de solidão, sua sensação de fracasso e da ira de Deus o deixaram com uma auto-estima muito baixa. Porém, Deus o ergueu, tranqüilizando-o vez após vez que estaria com ele e o ajudaria (Êxo. 3:12 e 14; 4:2-5 e 12).


Durante os 40 anos seguintes de sua vida, Moisés experimentou uma proximidade com Deus nunca antes experimentada por outra pessoa. Duas vezes, ele passou quarenta dias e quarenta noites encerrado com Deus no Monte Sinai, até que seu próprio rosto brilhava com a glória de Deus (Êxo. 24:18; 34:28, 30).


Moisés viu a glória de Deus – a beleza de Seu caráter. Ele viu além da ira de Deus contra o pecado; viu Seu incrível amor e compaixão pelos pecadores. Embora a maioria de nós não seja privilegiada com uma revelação assim de Deus, o Senhor de fato nos concedeu até uma revelação melhor de Si mesmo. Qual foi a revelação, e como isso deveria mudar nossa vida? Quando os filhos de Israel adoraram o bezerro de ouro, Moisés orou novamente por eles. Leia esta oração em Êxodo 32:11-14 (compare com Deut. 9:25-29). Com base no Salmo 90, o que ele aprendeu sobre Deus e a oração que o autorizou a ser um intercessor tão poderoso?


"‘Deixa-Me, que os consuma’, foram as palavras de Deus. Se Deus Se propusera a destruir Israel, quem poderia pleitear em seu favor? Quantos não teriam deixado os pecadores entregues à sua sorte! Quantos não teriam alegremente trocado um quinhão de labutas, encargos e sacrifício, pagos com ingratidão e maledicência, por uma posição de comodidade e honra, quando era o próprio Deus que oferecia o livramento!


Moisés, porém, entrevia bases para esperança onde apenas apareciam desânimo e ira. As palavras de Deus: ‘Deixa-Me’, compreendeu ele não proibirem, mas sim, alentarem a intercessão, implicando que coisa alguma a não serem as orações de Moisés poderia salvar Israel; mas que, sendo assim rogado, Deus pouparia a Seu povo.


Revisar o passado e esperar ansiosamente o futuro pode ser desencorajador, especialmente quando a vida não está indo bem. Porém, a experiência de Moisés nos ensina que podemos levar nossa vida a Deus em oração para que Seu favor repouse sobre nós e Ele possa "confirmar o trabalho de nossas mãos" (Sal. 90:17).


 
Envie esta página à um(a) amigo(a)