Login ou Esqueceu a sua senha?
E-mail:
senha

Estudo Dirigido - AMÓS - EM BUSCA DA VIDA


 

Estudo III - PALAVRA DO SENHOR



Amós 3:3


Amós fala com fogo e clareza sobre os pecados de Israel e os castigos que esses pecados trarão. Por trás das terríveis denúncias e advertências, a mensagem real para Israel é esta: “Busquem o bem, não o mal, para que tenham vida. Então o Senhor, o Deus dos Exércitos estará com vocês, conforme vocês afirmam”. (Amós 5:14).


Amós 3:1 e 2 - Um dos maiores perigos que os cristãos correm é o de se esquecerem do que Cristo fez por eles, tanto individual como coletivamente. A história do antigo Israel mostra, porém, como a memória das pessoas é curta. A arrogância de Israel levou o povo a esquecer por que Deus o escolheu, e sua insolência o levou a confiar na prosperidade presente às custas das prioridades espirituais e morais.


Em Amós 3:3, Deus lembrou a Israel de que os libertou do Egito para torna-los uma família modelo que vivesse em um relacionamento íntimo com Ele.


O que levou Israel a uma tragédia tão grande? Ter esquecido da História é uma das razões. Ter rejeitado a lei de Deus é outra. Mas Amós aponta para uma fundamental: o fracasso de Israel em ouvir a palavra de Deus. Deus nunca deixa de falar com Seu povo. E é por nossa própria conta que deixamos de ouvi-lo.


Amós 3:10 - Israel rejeitou o conhecimento. Não importa quanta luz seja dada, se não for apreciada, seguida, estudada e amada- mais cedo ou mais tarde- ela se perde.


Os leprosos que perdem os dedos não os perdem diretamente por causa da doença. Seus nervos são danificados pela doença, e eles não podem sentir dor; e assim eles não se afastam de objetos que podem feri-los. O pecado faz a mesma coisa conosco: ele diminui nossa sensibilidade quanto ao erro, de forma que logo ele não parece mais pecaminoso ou errado, até o ponto em que as pessoas “ao mal chamam bem e ao bem, mal”. (Isa.5:20).


Uma pessoa que se recusa a ouvir a Deus não pode escapar do dia do ajuste de contas. O Deus da graça também é o Deus do juízo (Amós 3:2).


Esse juízo não é apenas uma questão de causa e efeito, mas uma revelação da repulsa divina contra a maldade pessoal e coletiva. Os maus podem prosperar e festejar em sua riqueza. Mas essa prosperidade é temporária e traz dentro de si as sementes da destruição.


O fato de termos sido escolhidos por Ele não nos dá imunidade no juízo. A escolha e a salvação envolvem uma responsabilidade especial de permanecer na vontade de Deus tanto em nossa vida pessoal como social.


Um Concerto Quebrado- No concerto entre Deus e Israel, Deus foi sempre fiel. Qual o lado que rompeu o concerto? (Ose.6:7; 8:1; Jer.34:18).


Talvez a razão por que as pessoas são tão infiéis a Deus e ao Seu concerto seja que têm medo de avaliar o custo de seguir a Cristo. Foi isso o que aconteceu no tempo de Amós; é isso o que acontece nos dias de hoje.


Amós 3:1-8 começa com o discurso de Deus contra os pecados de Israel.


Embora essas declarações aparentemente não tenham relação, elas têm algo em comum. Discutem conseqüências inevitáveis- resultados naturais.


Leia Provérbios 19:20. Nossos atos têm conseqüências. Em Amós, Israel está simplesmente colhendo os frutos de suas ações.


Sentença - Amós 3:11-15


A última fase da ação judicial de Deus contra Israel é o pronunciamento da sentença sobre os que abandonaram as condições do concerto. O verso 11 descreve o “adversário” que será usado por Deus para destruir Samaria. Sem dúvida, refere-se aos assírios, que mais tarde levaram os israelitas ao cativeiro.


É muito difícil, de nosso ponto de vista, entender por que deveria existir um castigo tão violento (v.12) para as transgressões de Israel. Os assírios eram terrivelmente brutais com os que conquistavam. Naturalmente, este não foi o único caso em que Deus usou forças de fora para castigar Seu povo (Isa.13). Como sempre, essa punição envolvia pilhagem, estupro, morte, escravidão e outros males terríveis. Como podemos conciliar o Cristo do Antigo Testamento com o Cristo do novo? Só teremos a resposta se compreendermos a natureza terrível do pecado. O grande conflito envolve o Universo inteiro. De nossa perspectiva humana, muitas coisas são difíceis de entender. Como Paulo disse, nós vemos “como em espelho, obscuramente”(I Cor.13:12). O pecado é sério e mortal.


 
Envie esta página à um(a) amigo(a)