Login ou Esqueceu a sua senha?
E-mail:
senha

A Bíblia em Esboco
A Epístola de São Tiago

 


Análise nº
59

Palavra-chave: "Fé" - "Obras" - "Cumpridor"

Mensagem: A fé manifestada pelas obras.

INTRODUÇÃO GERAL

AUTOR: Indeterminado. Há, no Novo Testamento, três personagens preeminentes chamados Tiago. Em geral aceita-se que o Tiago, chamado por Paulo de "o irmão do Senhor", (Gálatas 1:19), foi o autor da carta.

DESTINATÁRIOS: Aparentemente os judeus convertidos que viviam fora da Terra Santa, ou também, aos judeus devotos da Dispersão, 1:1.

TEMA PRINCIPAL: A religião prática, manifestada nas boas obras, em contraste com a simples profissão da fé.

CONFLITO DOUTRINÁRIO APARENTE ENTRE PAULO E TIAGO.

Qualquer suposto conflito doutrinário entre esta carta e a de Romanos é puramente imaginário. Paulo, acossado por mestres do judaísmo nas igrejas, naturalmente deu grande ênfase à justificação pela fé sem as observâncias cerimonias. Todavia, quando ele escreveu a Tito, o tema principal de sua carta foi: a importância das boas obras, mostrando deste modo uma perfeita harmonia com os ensinos de Tiago. É evidente que este último, quando parece depreciar a fé, se refere apenas ao assentimento intelectual da verdade e não à "fé salvadora a que se refere Paulo".

SINOPSE: Esta carta não se presta facilmente a uma análise, mas a maior parte do texto pode ser dividido em dois títulos, a religião verdadeira, e a religião falsa.

I. Características da religião verdadeira.

Cap. 1.

  • (1) Gozo e paciência no meio das provas, vs. 2-4.
  • (2) Fé constante e firmeza de ânimo, vs. 5-8.
  • (3) Aceitação das provisões divinas da vida, vs. 9-11.
  • (4) Suportar a tentação, v. 12.
  • (5) Reconhecer as fontes da tentação e os resultados de se ceder a ela, vs. 13-15.
  • (6) Reconhecer a fonte divina de todas as bênçãos, vs. 16-18.
  • (7) O ouvido espiritual, o cuidado ao falar e a paciência diante da provocação, vs. 19-20.
  • (8) O abandono de toda maldade, e o recebimento com mansidão da verdade salvadora, v. 21.
  • (9) A busca da verdade e a sua prática, v. 25.
  • (10) A generosidade prática e a pureza, v. 27.

Cap. 2.

  • (11) As boas obras.
    • (a) Como uma demonstração de fé, v. 18.
    • (b) Cooperando com a fé e aperfeiçoando-a, vs. 21-25.

Cap. 3.

II. Características da falsa profissão de fé.

Cap. 1.

  • (1) Ouvir a Palavra com indiferença e negligência, vs. 22-24.
  • (2) A religião vã, acompanhada por uma língua indomável, v. 26.

Cap. 2.

  • (3) O favoritismo, que honra ao rico e despreza ao pobre, vs. 1-9.
  • (4) A obediência parcial da lei, 10-12.
  • (5) A inclemência, v. 13.
  • (6) A simples profissão de fé, desacompanhada de atos de misericórdia e ajuda, vs. 14-16.
  • (7) A fé inativa, vs. 17-18.
  • (8) O assentimento intelectual da verdade, sem uma mudança de caráter, vs. 19-20.

Cap. 3.

  • (9) A língua indomável e sua influência destruidora, vs. 1-8.
  • (10) Louvores e maldições procedentes de uma mesma boca, vs. 9-12.
  • (11) A inveja, a ambição egoísta e a sabedoria satânica, vs. 14-16.

Cap. 4.

  • (12) O combate e as paixões perversas, vs. 1-2.
  • (13) As orações não respondidas e o mundanismo, vs. 3-4.
  • (14) O orgulho, a obstinação, a impureza, o duplo ânimo e a impenitência, vs. 5-9.
  • (15) A calúnia e o juízo injusto, vs. 11-12.
  • (16) A presunção ao planejar negócios futuros, vs. 13-16.
  • (17) A negligência do dever conhecido, v. 17.

III. Advertências, exortações e instrução.

Cap. 5.

  • (1) Advertências contra o rico.
    • (a) Acerca de sua futura miséria, vs. 1-2.
    • (b) Acerca de sua riqueza acumulada e da retenção do salário do pobre, vs. 3-4.
    • (c) Acerca de sua busca do prazer e da perseguição do justo, vs. 5-6.
  • (2) Exortações acerca da vinda do Senhor.
    • (a) Devemos ser pacientes e constantes, sem nos queixarmos uns contra os outros, vs. 7-10.
    • (b) Devemos seguir o exemplo dos profetas e de Jó, de sofrer pacientemente, vs. 10-11.
    • (c) Devemos refrear-nos completamente de jurar, v. 12.
  • (3) Instruções acerca da oração, da confissão das ofensas, e do ganhar almas.
    • (a) A oração nos tempos difíceis e em favor dos enfermos, vs. 13-15.
    • (b) A confissão das ofensas e a oração intercessora, v. 16.
    • (c) A oração eficaz, ilustrada por Elias, vs. 16-18.
    • (d) O dever de ganhar almas, vs. 19-20.


O AUTOR
  • Sem dúvida, Tiago, o irmão do Senhor, foi o autor. três homens, chamados Tiago, são mencionados no Novo Testamento:
    • O filho de Zebedeu,
    • O filho de Alfeu,
    • Tiago, o justo irmão do Senhor, que é o escritor desta carta.
  • Era um forte antagonista de nosso Senhor, quando do seu ministério terreno; mas, converteu-se num encontro especial, íntimo, com O ressuscitado. (I Coríntios 15:7) Tornou-se um homem de oração e foi nomeado Bispo da Igreja em Jerusalém, (Atos 15:13-21, Gálatas 2:9) e foi assassinado pelos judeus no ano 62 A.D.

O ESTILO

  • A epístola foi escrita por um judeu para os cristãos judeus e, nela há bastante que é peculiarmente judaico, no seu estilo e no seu espírito.
  • Uma particularidade da epístola é o próprio caráter de Tiago. Rigoroso e severo, assemelhava-se muito aos profetas do Velho Testamento. Seu estilo é breve, ousado e incisivo, fazendo dele um homem admirável em metáforas: 1:6,10,17,18,21,23 - 5:5.

O TEMPO

Pelas evidências internas, as autoridades no assunto, concordam, cada vez mais, que em Tiago temos a primeira das epístolas do Novo Testamento. Calcula-se ter sido escrita entre os anos 45 e 53 A.D. - Isto é muito importante fixar, levando-se em conta que muitos tem declarado que, Tiago escreveu sua epístola para combater o ponto de vista que Paulo defendeu: a justificação pela fé; amplamente desenvolvido na carta aos Romanos. No entanto, a epístola de Tiago foi escrita alguns anos antes da que Paulo escreveu aos Romanos.

O PROPÓSITO

  • Os cristãos judeus atravessaram um período de provas acerbas e tentações terríveis, e Tiago escreve para animá-los e para confortá-los.
  • Sucediam-se grandes desordens nas Assembléias cristãs judaicas e ele escreve para instruir as mesmas.
  • Havia a tendência de divorciarem a fé das obras. "Uma verdadeira epístola de feno" disse Lutero, referindo-se naturalmente, à "palha" de I Coríntios 3:12, "não tendo o verdadeiro caráter evangélico". Lutero era incapaz (devido ao seu ligeiro ponto de vista da epístola) de harmonizá-la com a elevada doutrina da qual se tornou seu campeão, porém, anos depois, percebia diferentemente e,, aceitava que, em verdade, Tiago era o complemento de Romanos. - A prova de que sou justificado pela fé só a demonstrarei pelas minhas obras.

O CONTEÚDO

  • Há pouca doutrina, nesta epístola, mas, muito de prática e de moral. Tiago, soube ser muito prático, vivia o que pregava. Este é o livro do viver santo.
  • Seu verso chave é, 2:26. Na verdade, um tratado muito prático sobre a fé, sua natureza e obra. Parece, à primeira vista, tão fragmentada e desconjuntada como Provérbios, porém, um estudo mais apurado, revela discernimento em belíssima ordem.

ANÁLISE

(1) SAUDAÇÃO - Cap. 1:1
  • Notar sua humildade não fazendo nenhuma referência à sua relação com Jesus.

  • Quando se refere a Jesus, o faz com reverência e devoção!

Isto é digno de nossa atenção, pois, muitas vezes, a familiaridade produz a falta de respeito.

(2) A FÉ DEMONSTRADA E PROVADA PELAS - Cap. 1:2 - 21

TENTAÇÕES

  • Tem em conta que a tentação é uma gloriosa oportunidade para por a prova a nossa fé, 2-4.

  • Para ter sabedoria afim de enfrentar as tentações, quando prejudicado ou insultado, pedi-la a Deus, 5-17.

  • O homem que "sofre a tentação" e vence essa provação, é bem-aventurado, 12.

  • Tentações para o mal, não vem de Deus, 13-18.

  • Sob a provação, sede tardios em falar, 19-21.

(3) A FÉ DEMONSTRADA PELAS - Caps. 1:22 - 2

OBRAS

  • Não nos enganemos:

    • a respeito de Deus, 16.

    • a nós mesmos, 22.

    • quanto à religião, 26.

  • Acepção de pessoas não é apenas descortesia para com o pobre, mas, é pecado, 2:1-12.

  • Em 2:14-26, temos o coração da epístola, mostrando que, a fé, quando viva e real, se evidência pelos seus frutos.

(4) A FÉ DEMONSTRADA PELAS - Cap. 3

PALAVRAS

  • "É muito notável nesta carta a revelação de que havia muita maledicência, violenta e arrogante entre os cristãos judeus: bastante discussão, cheia de ira e contenção amarga".

  • Aqui, ele revela que uma das provas de sermos justificados é nas nossas - Palavras - essas dirão aquilo que somos e a quem pertencemos.

(5) A FÉ DEMONSTRADA PELA - Cap. 4

VIDA SEM MUNDANISMO

  • O mundo é uma ordem de coisas ao nosso redor, ou, aquele espírito em nós, que é cego e surdo ao valor da realidade das coisas espirituais, e indiferente à vontade de Deus.

  • A separação do mundo aparece aqui como uma prova infalível de que somos justificados, e que possuímos uma fé real que salva em Cristo.

  • Observar: "Sujeitai-vos, pois, a Deus" antes de "resisti ao diabo".

(6) A FÉ DEMONSTRADA PELA NOSSA PACIÊNCIA, DEBAIXO DE - Cap. 5:1-12

INJUSTIÇA CRUEL

  • Evidentemente, muitos, entre os humildes cristãos, eram oprimidos pelos ricos e defraudados nos seus salários.

  • A fé em Cristo e em Sua vinda, nos confortará e nos dará paciência nos sofrimentos inevitáveis.

  • Isto, hoje, tem sua aplicação.

  • O "justo" (v. 6) o maior exemplo!

(7) A FÉ DEMONSTRADA PELOS EFEITOS DE NOSSAS FERVOROSAS - Cap. 5:13-20

ORAÇÕES

  • A tradição diz, com respeito a Tiago, que seus joelhos, se tornaram grossos e duros como os do camelo, devido a seu habito, constante de orar.

  • Praticava o que pregava.

  • Notar, quão abruptamente termina a epístola.

Não se encontraria nota mais impressionante para a concluir.


 
Envie esta página à um(a) amigo(a)