Login ou Esqueceu a sua senha?
E-mail:
senha

A Bíblia em Esboco
O Evangelho Segundo São Mateus


Análise nº 40

Mensagem: Jesus como REI MESSIAS

Versos chaves: 1:1 e 27:37

INTRODUÇÃO GERAL

AUTOR: Mateus (também chamado de Levi), um dos doze apóstolos, Marcos 2:14. Foi sem dúvida um judeu que também era publicano romano, Mateus 10:3.

Quando foi chamado por Jesus, deixou tudo e o seguiu, Lucas 5:27-28. Preparou um grande banquete para Cristo, ao qual este assistiu, apesar de os publicanos serem desprezados. Lucas 5:29.

DESTINATÁRIOS: Principalmente os judeus. Este ponto de vista está confirmado pelas referências às profecias hebraicas, cerca de sessenta, e pelas aproximadamente quarenta citações do Antigo Testamento. Ressalta especialmente a missão de Cristo aos judeus, Mateus 10:5; 15:24.

PALAVRAS CHAVE: Cumprimento, repetida com freqüência para indicar que as profecias do Antigo Testamento se cumpriram em Cristo.

REINO: aparece cinqüenta vezes, e reino dos céus trinta vezes. Jesus como rei, Mateus 2:2; 21:5; 22:11, 34; 27:11, 37, 42.

PROPÓSITO APARENTE: Mostrar que Jesus de Nazaré era o Rei Messias da profecia hebraica.

PARTICULARIDADES

  • (1) A genealogia completa de Cristo, 1:1-17.
  • (2) Incidentes e discursos encontrados somente neste Evangelho.
    • (a) Cap. 2, a visita dos magos, v. 1. A fuga para o Egito, vs. 13-14. A matança dos meninos, v. 16. A volta a Nazaré, vs. 19-23.
    • (b) Cap. 3, os fariseus e os saduceus vêm a João Batista, v. 7.
    • (c) Caps. 5-7, o Sermão do Monte (completo).
    • (d) 11:28, "Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados".
    • (e) 14:28-31, Pedro caminha sobre a água.
    • (f) Cap.23, denuncia aos fariseus em um longo discurso.
    • (g) 26:15, as trinta peças de prata aceitas por Judas.
    • (h) Cap. 27, a devolução das trinta peças de prata, vs. 3-10. O sonho da esposa de Pilatos, v.19. Aparição dos santos ressuscitados, v. 52. A guarda no túmulo, vs. 64-66.
    • (i) Cap. 28, o suborno dos soldados, vs. 12-13. O terremoto, v. 2. A grande Comissão, vs. 19-20.
  • (3) Milagres encontrados somente no livro de Mateus.
  • (4) Parábolas encontradas somente em Mateus.

ANÁLISE do ponto de vista do reino de Cristo.

O Rei. A história do Rei Messias. Linhagem e nascimento, cap. 1; sua busca, 2:2; sua adoração, 2:11; seu anúncio, 3:1-12; sua vitória espiritual, 4:1-11; sua proclamação, 4:17; a chamada de seus seguidores, 4:18-22; suas leis e mandatos, caps. 5-7; suas palavras e obras, caps. 8-12; suas parábolas , cap. 13; o assassínio de seu precursor, 14:1-12; seu poder sobre as forças da natureza e sobre a doença, 14:14-36; 15:32-39; sua revelação da insensibilidade do homem e de seus sofrimentos e glória futuros, caps. 16-17; sua instrução acerca dos princípios do reino, caps. 18-20; sua entrada triunfal na capital, sua rejeição, parábolas e profecias, 21:1 -22:14; sua capacidade de frustrar os complôs dos fariseus e dos saduceos, 22:15-46; sua denúncia contra os líderes, cap. 23; suas profecias e parábolas relacionadas com o futuro, caps. 24-25; eventos que levarão à sua traição, 26:1-46; seu juízo, 26:57-75; 27:1-31; sua crucificação, 27:31-50; os eventos que se seguirão imediatamente à sua morte, 27:51-56; sua reaparição na terra, e sua comissão aos seus seguidores, cap. 28.


O VALOR

(1) Renan, o cético, descreveu este Evangelho como "o livro mais importante do Cristianismo - o livro mais importante jamais escrito".

(2) Concordamos, plenamente, quanto à sua importância, mas, preferimos dizer "um dos mais importantes".

O ESCRITOR

(1) Foi escrito por Mateus, o publicano convertido - 9:9. Em Marcos 2:14 é chamado Levi. Evidentemente Mateus foi renomeado por nosso Senhor.

(2) Somente no seu Evangelho é que o termo desprezível de "publicano" se associa ao seu nome apostólico de Mateus. - Mateus significa: "Dom de Deus".

(3) Tudo indica ter sido um homem afortunado. Modestamente não faz alusão alguma ao "grande banquete" que ofereceu em sua casa, por ocasião da sua chamada ao ministério, (Lucas 5:29) nem ao seu grande sacrifício em seguir a Cristo. Não fora o autor deste Evangelho, e seria um dos apóstolos menos conhecidos.

O PROPÓSITO

(1) Originalmente, o livro foi escrito em hebraico e se destinou, especialmente, aos judeus; conseqüentemente, o Velho Testamento é citado constantemente.

(2) Uma palavra característica, neste livro, é "cumprir". Ele alude a nada menos de 60 citações do Velho Testamento como tendo sido cumpridas em Cristo.

(3) Não há contradição nos quatro evangelistas, como alguns pretendem afirmar; pois cada um deles escreveu tendo em mira um propósito especial. Cada um fornece um retrato diferente do Senhor Jesus. O retrato dado por Mateus é o do Rei. A palavra "Reino" encontra-se 55 vezes. "Reino do Céu" 32 vezes, e "Filho de Davi" 7 vezes.

(4) Este livro mostra que a missão de Jesus era destinada, primeiramente, aos judeus, (10:5,6 e 15:24). O "Evangelho do Reino" anunciado por Jesus e seus discípulos, (4:23 e 10:7) não é o mesmo que anunciamos hoje. O primeiro constituiu as boas novas que Deus estava para estabelecer na terra - um reino político e espiritual - regido por Jesus como Filho de Davi, enquanto que o último tem de empenhar-se com o reino espiritual de Deus. O "Evangelho do Reino" foi anunciado até a rejeição e crucificação de Jesus, mas, será anunciado outra vez, um pouco antes da grande Tribulação (24:14) e da segunda vinda de Jesus como Rei. O Evangelho que pregamos hoje é boas novas de salvação por meio de Cristo, e a chamada de um povo para Si mesmo. Uma proclamação do Evangelho da Graça de Deus.

ANÁLISE

(1) O NASCIMENTO DO REI - Caps. 1 e 2
  • A genealogia e nascimento do Rei, a adoração dos Reis do Oriente (os sábios), a perseguição de Herodes, o usurpador.
  • O Senhor Jesus é o último na história judaica, cuja descendência, da linha real de Davi, pode ser clara e perfeitamente estabelecida.
(2) O ARAUTO DO REI - Cap. 3
  • Todas as pessoas notáveis do Oriente tinham arautos, assim também, Jesus.
  • João, o Batista anunciava à aproximação do Reino, e batizou o Rei.
(3) A PROVA DO REI - Cap. 4:1-11
  • Aqui o Senhor Jesus encontrou e derrotou o tentador, recusando receber o Reino por outro meio que não fosse Deus.
  • O primeiro Adão cercado de todo conforto, caiu, no Éden; o segundo Adão, mesmo enfraquecido pela longa abstenção, triunfou, no deserto.
(4) A PROCLAMAÇÃO DO REI - 4:12 - 25
  • Jesus não veio fundar a Igreja mas, sim o Reino. Aqui, Ele faz a sua proclamação real.
  • O Reino de Deus é composto de todos quantos, no céu e na terra a Ele se submetem, e a entrada neste Reino é pelo novo nascimento (João 3). O Reino do Céu é o estabelecimento visível do Reino de Deus na terra.

(5) AS LEIS DO REI - Caps. 5 a 7
  • O sermão do monte é somente para os discípulos. É o código das leis especialmente para o Reino terrestre de Cristo, que Ele estabelecerá, mais tarde, embora tenha uma mensagem para nós, agora.
  • O sermão do monte tem sua aplicação moral aos crentes.
(6) O MINISTÉRIO DO REI - Caps. 8 a 11:19
  • O Rei em atividade na sua missão de ensinar e curar entre o seu povo, Israel.
  • Notar que a versão inglesa (R.V.) traduz a palavra "criado" em 8:6 por "menino" no sentido de afeição, mostrando assim, quanto aquele criado se afeiçoara ao seu amo.
(7) A REJEIÇÃO DO REI - Caps. 11:20 e Cap. 20
  • Esta é uma seção de grande importância. Israel tinha, praticamente, rejeitado o Rei. Agora, o estabelecimento do Reino foi adiado e Jesus, pela primeira vez, sugere um novo passo, a criação de uma nova sociedade - a Igreja.
  • Notar 12:14 seguido do "mistério" ensinado no capítulo 13.
(8)  A ENTRADA DO REI - Caps. 21 a 25
  • A entrada final do Rei na sua capital, e sua rejeição final e pública.
  • Notar 25:41. - Nenhum juiz da terra ao lavrar a sentença a um criminoso faz dela um assunto relacionado a sua pessoa. Cristo faz. O afastar-se de Cristo, significa perder toda a esperança.
(9) A MORTE E RESSURREIÇÃO DO REI - Caps. 26 a 28
  • Jesus foi morte por declarar-se Rei. Notai, especialmente, 27:11, 12, 29, 37 e 42.
  • Ao rasgar do véu em 27:51 segue-se o dilaceramento do coração de Jesus.

 
Envie esta página à um(a) amigo(a)