Login ou Esqueceu a sua senha?
E-mail:
senha

A Bíblia em Esboco
O SEGUNDO  LIVRO DE CRÔNICAS


Análise nº
14

Mensagem: Buscando e servindo ao Senhor, eis o segredo duma religião vital e de uma vida vitoriosa

Frase chave: 30:19 “Que tem preparado o seu coração para buscar ao Senhor”

Verso Chave: 20:20

INTRODUÇÃO GERAL

Este livro é uma continuação de 1 Crônicas e um suplemento do livro de Reis.

A história de Judá narrada aqui é, em termos gerais, um quadro sombrio de instabilidade e apostasia, mesclada com períodos de reforma espiritual.

PARTICULARIDADES

O elemento espiritual na história está mais ressaltado em Crônicas do que em Reis.

  • (a) "Os cinco períodos de reforma".
  • (b) Outras ilustrações de referências que somente 2 Crônicas apresenta.

O piedoso discurso de Abdias, 13:5-12.

Asa se esquece de Deus, 16:12.

Alianças insensatas de Josafá, 20:35.

A causa da lepra de Uzias, 26:16-21.

Cativeiro e libertação de Manassés, 33:11-13.

CINCO PERÍODOS DE REFORMA são descritos.

RESUMO

I. O reinado de Salomão.

  • (1) Os sacrifícios de Salomão em Gibeom, e sua sábia eleição, cap. 1.
  • (2) A construção do templo, caps. 2-4.
  • (3) A glória do Senhor enche a casa, cap. 5.
  • (4) A oração de Salomão em dedicação do templo, cap. 6.
  • (5) O Senhor de novo aparece a Salomão de noite, cap. 7.
  • (6) A prosperidade e a fama de Salomão, cap. 8.
  • (7) A visita da rainha de Sabá e a morte de Salomão, cap. 9.

II. A insensatez de Roboão, que causou a divisão do reino, cap. 10.

III. A história de vários reinados desde Roboão até Zedequias.

MENSAGEM ESPIRITUAL

O poder da oração para obter êxito e vitória, 11:16; 13:13-18; 14:11; 15:12; 17:4; 20:3; 26:5; 27:6; 30:18-20; 31:21; 32:20; 34:3.

LIÇÕES ESPIRITUAIS

  • (1) A preeminência da sabedoria, 1:7-12.
  • (2) A glória do Senhor enche o templo preparado, 5:13-14.
  • (3) O espírito de louvor torna invencível o povo de Deus, 20:20-25.

VALOR DE UM PONTO DE VISTA CERTO

Um grupo de turistas após examinar um dos mais curiosos e famosos objetos no Egito, volta ao hotel onde se predispõe pra a comparação das anotações que cada um dos componentes do grupo fizera. Aí surpreendem-se ao verificar que suas anotações divergem grandemente em muitos pontos, pelo que, cada divergência provoca séria disputa; até que, um experimentado viajante, declarando que todos estavam certos, restaurou a paz entre eles. O conflito tinha sua explicação no fato de que cada um dos turista examinara o famoso objeto do seu ponto de vista pessoal. O estudo das “Crônicas” depende de se observar cada tópico do ponto de vista certo. É importante notar que nestes dois livros, a história do povo de Deus é narrada, não do ponto de vista político, nem mesmo humano, mas do ponto de vista eclesiástico e divino. Ilustremos isto:

DIFERENÇAS ENTRE “REIS” E “CRÔNICAS”

1)  Em I Reis 7:8 se diz, simplesmente, que Salomão construiu para a filha de Faraó uma casa para ela, separada; porém II Crônicas 8:11 nos informa que tal casa não foi construída em Jerusalém porque Salomão ajuizara que, sua esposa sendo idólatra, não deveria residirem cidade santa.

2)  Em I Reis 12:26-33, mostra que a apostasia de Jeroboão consistia, apenas, na adoração dos bezerros de ouro, no entanto, em II Crônicas 11:15, se revela que, além dos bezerros, Jeroboão adorava os demônios.

3)  Nos livros dos “Reis” não há menção de nenhum ato louvável do rei Abias, em, em II Crônicas 13:5-12, lemos seu fervoroso discurso e nos versos 14-18, o seu clamor a Deus.

4)  Somente “Crônicas” relata que o bom rei Asa, não buscou ao Senhor na sua última doença. II Crônicas 16:12; que o rei Jeosafá apesar do poderio que o Senhor lhe proporcionara, II Crônicas 17:3-5, formou uma tríplice e pecaminosa aliança:

a) Matrimonial, II Crônicas 21:6;

b) Militar, II Crônicas 18:3;

c) Comercial, II Crônicas 20:35; que Atalia cometera sacrilégio, II Crônicas, 24:7 e, porque o Senhor feriu Uzias com a lepra, II Crônicas, 26:16-21.

5)  O reino de Ezequias se dividiu em duas fases importantes: suas proezas militares e a reforma do Templo e sua adoração a Deus. Em II Reis, 18:4-6, temos 3 versículos, apenas, falando da reforma ao passo que em “Crônicas” temos, nada menos, de 3 capítulos (29-31) para o mesmo assunto. Em citar fatos militares, vemos o contrário: “Reis” dedica 3 capítulos à história secular, e apenas 3 versículos à reforma.

6)  II Reis 21, tem muito a dizer sobre a maldade de Manassés, porém, somente em II Crônicas 33:11-13 se descreve seu cativeiro em Babilônia e sua restauração ao trono feita por Deus. Por este falto, tem sido chamado “O pródigo do Velho Testamento”.

7)  Notar, como a frase notável em II Crônicas 9:8 –“... o Senhor... para te por como rei sobre Seu trono”, tem relação perfeita com I Crônicas 29:23.

FRASES E MENSAGENS CHAVES

1)  Ao ler este livro todo, uma frase se destaca: “Buscai ao Senhor”- 7:14, 11:16, 14:4 e 7, 15:2,4,12,13 e 15, 17:4, 19:3, 20:3 e 4, 22:9, 26:5, 30:19, 31:21, 34:3; vede também 12:14 e 16:12. Buscar ao Senhor resulta em bênção, vitória e sucessos.

2)  Oração e confiança no Senhor como segredo do sucesso é frisante em 1:1, 13:18, 14:6 e 11, 15:9, 20:17, 26:6, 32:8 e 22; ainda em 24:24, 28:6 e 19 e 20:20.

Um estudo destas escrituras, com o espírito de oração, revelará a mensagem que elas trazem. Buscando, crendo, obedecendo, servindo e amando ao senhor, são requisitos indispensáveis para a prática de uma religião vital e de uma vida espiritual vitoriosa. E, nada menos do que isto, satisfará ao Senhor e atenderá aos anseios da alma humana.

ANÁLISE

(1) O REINO DE SALOMÃO - Caps 1-9

 Leal ao Senhor

Abandonando ao Senhor
(2) OS REIS DE JUDÁ - Cap. 10-36

Buscando ao Senhor

Servindo ao Senhor

A)  Ainda que pareça impossível proceder com este livro como fizemos com os demais, dispondo-o em esquema, com divisões racionais; as quatro partes acima são uma síntese da história do povo de Deus nele relatado.

B)  Durante o reinado de Salomão e 3 anos de seu filho e sucessor (II Crônicas 1-11), o povo se manteve leal a Deus, mesmo a despeito da queda de Salomão, que não é mencionada em “Crônicas”. Mas, finalmente o povo “deixou a lei do Senhor” (12:1) e a punição é aplicada imediatamente (12:2-4). Semaías, o profeta, transmite a mensagem da parte do Senhor e o povo se humilha (12:6). O reinado de Abias não foi de todo mau (Cap. 13).

C)  O primeiro dos quatro grandes reavivamentos celebrou-se no reinado de Asa (Cap. 15). Jeosafá continuou nessa prática (Cap. 17-20) mandando mensagens a todos os recantos do país (17:7-9 e 19:4). Com a morte de Jeosafá, Israel descambou para o pecado, sob reinado de Jeorão, seu filho (Cap. 21) e depois, com seu neto no poder (Cap.22) Jeorão foi guiado por uma esposa iníqua (21:6), e Acazias, sofreu a influência dessa mãe malvada (22:3).

D)  O segundo grande avivamento religioso se deu com Joás, inspirado por Jeoiada, o sacerdote, (23-24:16), porém, após a morte deste bom sacerdote, induzido pelos príncipes de Judá, Joás se desviou (24:17-19) chegando a matar o filho do seu benfeitor, que o conduzira sempre pelos caminhos do Senhor (24:20-22). As palavras deste moribundo foram duas vezes usadas pelo Senhor Jesus (Luc. 11:50-51 e Mat. 23:35-36).

E)  O terceiro desses grandes avivamentos religiosos teve lugar sob Ezequias (Caps 29-30) e o quarto no reinado de Josias (Cap. 34).

Notar a estranha recompensa à fidelidade! A fidelidade é, muitas vezes, posta à prova (II Cron. 32:1)


 
Envie esta página à um(a) amigo(a)