A Bíblia em Esboco
O Primeiro Livro de Reis


Análise nº
11

Verso-chave: 22:19 com 9:4-9

Frase-chave: "como o coração de Davi, seu pai," - 11:4

Mensagem: Deus, o Soberano Governador de Israel abençoado o ambiente, punindo o desobediente e perdoando o penitente.

INTRODUÇÃO GERAL

TITULO: No texto hebraico, 1 e 2 Reis aparecem como um só livro. A divisão pode ter sido feita para conveniência dos leitores gregos.

SINOPSE: O livro pode ser dividido em duas partes.

I. A história do reinado de Salomão.

  • (1) Eventos iniciais. A morte de Davi e a ascensão de Salomão, seu filho, caps. 1-2.
  • (2) Os primeiros anos do reinado de Salomão, a idade de ouro de Israel, famosa:
    • (a) Pela sábia eleição do rei, 3:5-14.
    • (b) Por seu sábio juízo, 3:16-28.
    • (c) Por sua sobressalente sabedoria, 4:29-34.
    • (d) Pelo crescimento de seus domínios, 4:21.
    • (e) Pelo esplendor de sua corte e de seus palácios, 4:22-28; 7:1-12.
    • (f) Pela edificação do templo, caps. 5-6.
    • (g) Pelos outros edifícios e por sua grande riqueza, 9:17-23; 10:14-29.
    • (h) Pela visita da rainha de Sabá, 10:1-13.
  • (3) Os últimos anos de seu reinado. A decadência de seu reinado produzida:
  • (a) Por seu extravagante luxo, 10:14-29.
  • (b) Sua notória sensualidade, 11:1-13.
  • (c) Sua apostasia de Deus, 11:4-8.
  • (d) Seus inimigos, os quais o senhor levantou contra ele, 11:14-40.

II. A história dos reinos de Judá e Israel. Da morte de Salomão à elevação de Jorão, em Judá, e da elevação de Jeroboão ao reinado de Acazias, em Israel.

  • (1) A divisão do reino devido à insensatez de Roboão, filho de Salomão, 11:43 -12:19.
  • (2) A rebelião das dez tribos e a elevação de Jeroboão como rei de Israel, 12:20.
  • (3) A história comparativa dos dois reinos.
    • (a) Os reinados em Judá de Roboão, Abdias, Asa e Josafá, 12:1 -22:50.
    • (b) Os reinados perversos em Israel de Jeroboão, Nadabe, Baasa, Elá, Zimri, Omri, Acabe e Acazias, 12:20 -22:53.
PERSONAGEM HERÓICO: O profeta Elias.

PORÇÕES SELETAS:


O LIVRO

O autor do livro é desconhecido. Com certeza foi escrito ao tempo em que ainda existia o primeiro Templo, 8:8. Daí presumir-se que Jeremias, inspirado por Deus, o tenha escrito adicionando-lhe relativos dados por Natã e Gade, I Crônicas 29:29, e outros escritores. É a história dos reis de Judá e Israel, desde Davi até Acabe e Jeosafá, num período de 118 a 125 anos.

CONTEÚDO NOTÁVEL

  • No capítulo 1 verso 50 e no capítulo 2 verso 28, encontramos as primeiras referências ao recurso dos chifres do altar como refúgio. Os primeiros apelos ao direito do santuário.
  • Traz o primeiro exemplo de orar de joelhos, 8:54; a prática antiga era de pé, I Samuel 1:26. De fato, Salomão ficou de pé antes de ajoelhar-se, 8:22. Os adoradores de Baal dobravam os joelhos. Isto explica Juízes 7:5-7 (porque 9.700 homens das tropas de Gideão dobraram seus joelhos, provando ser adoradores de Baal, e foram rejeitados; e somente os 300 que lamberam as águas, foram aceitos) e, I Reis 19:18. Todavia, ajoelhar para orar fica aprovado para nós devido a ser esta posição usada por nosso Senhor e Salvador, Lucas 22:41.
  • O livro dá a primeira referência duma nova cronologia. Em I Reis 6:1, o período que vai do Êxodo à construção do Templo por Salomão, foi calculado em 480 anos, quando, na realidade é de 573. Isto tem sido uma pedra de tropeço para muita gente. Porém, estudiosos, doutos, das Escrituras descobriram que a diferença dos 93 anos correspondente, justamente, aos anos de cativeiro mencionados em Juízes. Esta é a solução do problema. E, aí está a cronologia divina. Durante esses 93 anos Israel não fora governado por Deus; esteve sob o calcanhar do opressor. Deus não contou os anos do cativeiro! os anos gastos alheios à vontade de Deus, não são contados por ele. Os pecados desses anos, até serem confessados, são lembrados, e os anos, assim consumidos são considerados nulos.
  • Temos em 5:5 e 8:27 a primeira declaração, no Velho Testamento, duma concepção maravilhosamente espiritual de Deus. Observai: o Templo não foi edificado, como Casa para o Senhor, mas, sim "ao nome do Senhor". Os templos pagãos eram destinados, pelos seus construtores para residência de seus deuses. Salomão foi mais sábio. A expressão "ao nome do Senhor" é muito notável.
  • Notar: 5:3, "seu Deus" e 5:4, "meu Deus". Salomão gloriava-se no fato de que o Deus de seu Pai era o seu Deus!
  • Observai:
    • que foi Joabe, o velho guerreiro, que primeiro ouviu o som da trombeta (1:41);
    • que, em 8:3 temos a única referência da condução da Arca pelos sacerdotes, serviço esse sempre feito pelos levitas;
    • a declaração "O Senhor disse que habitaria nas trevas", 8:12; tem sido motivo de conforto para milhares de almas aflitas. Estás nas trevas espirituais, meu irmão ou minha irmã? Regozija-te, porque Ele estará contigo! A escuridão nos achega ao nosso Deus e nunca nos repele.
    • Notai: a extraordinária e notável concepção da missão de Israel no mundo, 8:43,60;

    Oh que Israel sempre se tivesse lembrado disso!

ANÁLISE

(1) O ESTABELECIMENTO DO REINO - Caps. 1 e 2

medidas tristes, porém necessárias

  • Notar: "estabelecido" 2:12, 45, 46
  • Davi, prematuramente velho (70) 1:1-4
  • A rebelião do filho mais velho de Davi, 1:5-9
  • Conspiração de Natã e Batseba, 1:10-31
  • Salomão ungido rei, 1:32-52
  • O último discurso e a morte de Davi, 2:1-12
  • Salomão executa vários traidores, 2:13-46
(2) A GLÓRIA DO REINO - Caps. 3 ao 10

sua unidade e esplendor

(3) A DIVISÃO DO REINO

sua lamentável e fatal dissidência

  • Nota: 11:11 e 12:17

  • Apostasia e morte de Salomão, cap. 11

  • Ascensão e loucura de Reoboão, 12:1-15

  • A divisão do Reino. Jeroboão reina sobre 10 tribos, 12:16-24

(4) O DECLÍNIO DO REINO - Caps. 12:25 - 22

sua corrupção e decadência

 
A MENSAGEM

  • O livro foi escrito para apresentar as causas do estabelecimento e, do declínio do Reino. Ensinando que Israel sempre progredia quando se mantinha leal a Deus, mas, quando o deixava seu reino e sua moral degeneraram. A visão de 22:19 é, por demais, importante. Deus, em seu trono, dispensando misericórdia e graça ao penitente, obediente; mas, punindo e castigando os pecadores.

  • Notai o novo padrão: "como o coração de Davi, seu pai", (3:3, 14 - 9:4 - 11:4, 33, 38 - 14:8 - 15:3, 11). O homem falhou mesmo no alcançar este padrão humano

 


 
Envie esta página à um(a) amigo(a)